Juliana Daglio

autor_site

Juliana Daglio formou-se em psicologia, porém desde muito cedo dizia a todos que escreveria um livro. Dentre seus desejos mais estranhos, clamava que queria ser uma Libélula, unindo sua promessa ao feito de tornar-se uma, através da escrita.

Depois de uma infância de filmes de terror assistidos na surdina, amigos imaginários, histórias que tiravam o sono contadas pela avó e muitos livros com que foi presenteada, o amor pela ficção e o desejo ardente de versar sobre o que há de mais lindo e obscuro na alma humana – pois nem sempre esses adjetivos são opostos – trouxeram sua imaginação à vida.

Suas personagens principais, as chamadas ‘Vs’, por terem todas a mesma inicial, são suas companheiras diárias, entre pacientes e estudos de psicanálise. Hoje é autora de Uma Canção para a Libélula, uma trama sobre depressão e dramas familiares, e a série O Lago Negro. Lacrymosa é seu atual projeto e sua estreia no mundo do Terror e da fantasia.

Lacrymosa
O nome dela não é Valery Green. Também não nasceu no Kansas, e sua família toda não morreu num acidente de carro onde ela foi a única sobrevivente. Nascida num mundo de trevas e segredos apocalípticos, a garota feita de mentiras luta dia após dia para ter uma vida longe de sua verdadeira identidade e de seu dom misterioso, o qual ela julga como uma maldição.
Por cinco anos, ela conseguiu. Escondida na pacata Darkville, tornou-se uma respeitada Detetive, conhecida por sua frieza e eficácia no trabalho. Seu companheiro Axel parece ter orgulho de trabalharem juntos, até ficar frente a frente ao que encontraram na busca daquela noite – um demônio dentro de uma garotinha.
Para ajudar a pequena Anastacia, Valery terá que colocar em risco o trabalho na polícia e seu relacionamento com Axel, recorrendo à ajuda do Padre Henry Chastain, um velho conhecido. Desenterrando um passado cheio de exorcismos, perseguições e batalhas contra demônios, esse reencontro não promete ser feito de abraços e boas-vindas. Chas, como ela o chama, é conhecido como o maior Exorcista vivo – a Espada de Sal do Vaticano, e é sua única esperança de lutar contra o novo inimigo.